História

Depois de muitos anos em busca de um terroir excepcional no Novo Mundo (mercados fora da Europa), a renomada vinícola espanhola Raventós Codorníu finalmente achou seu espaço em Mendoza, na Argentina, em 1999.

A Bodega Séptima terminou de ser construída em 2001 e está localizada no coração dos Andes, na zona alta de Agrelo, departamento de Luján de Cuyo, em Mendoza. Rodeada por 150 hectares plantados com vinhas, a bodega possui uma superfície coberta de 5.500 m² e produz três milhões de garrafas de vinho por ano, que são vendidas tanto na Argentina como no mercado internacional.

Os vinhos

A Bodega produz vinhos de alta qualidade com uvas colhidas em Agrelo e nas melhores áreas do Vale do Uco, na província de Mendoza. Qualidade, inovação, profundo respeito pelo terroir e a experiência transmitida pela família Raventós Codorníu são os pilares que os consolidam como grandes enólogos. Seus vinhos são representantes inovadores e autênticos da terra.

'Fazemos vinhos de montanha porque estamos na montanha. Porque somos parte da montanha.'

Um refúgio nos Andes

A construção da Bodega é uma fortaleza de rocha natural e sustentável, totalmente integrada ao meio ambiente. A imobilidade, a utilização de materiais nobres, o silêncio, a grande abertura e a temperatura controlada naturalmente visam recriar uma continuidade entre a adega e a serra.

A diferença entre o interior e o exterior é quase imperceptível; vinícola e montanha coexistem em um ecossistema integrado e perfeito. A construção expressa sua natureza andina de forma eloquente com um desenho que alude aos centros cerimoniais pré-hispânicos.

Suas enormes paredes de pedra cega proporcionam ao interior da construção os benefícios da sua inércia térmica, ideal para o vinho. Tudo isso combinado com harmonia, modernidade e tradição; natureza e técnica.